1

Tempo da travessia


Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.
Fernando Pessoa
"Venham, voltemos para o Senhor. Ele nos despedaçou, mas nos trará cura; 
Ele nos feriu, mas sarará nossas feridas.
Depois de dois dias Ele nos dará vida novamente; ao terceiro dia nos restaurará, para que vivamos em Sua presença.
Conheçamos o Senhor; esforcemo-nos por conhecê-lo.
 Tão certo como nasce o sol, Ele aparecerá...
Virá para nós como as chuvas de inverno
Como as chuvas de primavera que regam a terra. " 
Oséias 6:1-3

É impressionante como a gente entra nos "furacões da vida" sem nem sentir...
Me é cada vez mais difícil resistir com saúde emocional, mas não abro mão do desafio.
Me consome a ideia de sobreviver diante de fatos, pessoas, situações sem absorver o lixo que carregam...
Preservar o coração, guardar a alma e não se contaminar é pra mim a maior das lutas travadas do lado de dentro. Até porque o nosso -  o meu coração -  é enganoso, apodrecido por natureza... se inclina o tempo todo ao que é mais fácil: a sujidade íntima.

O Profeta sabiamente descobre o lugar do seu coração e do meu: De volta ao Pai.

De volta ao Pai para encarar a realidade da vida sem atrofiar, nem tampouco apodrecer diante dos cenários sombrios que muitas vezes se formam.
De volta ao Pai para não esclerosar o espírito e se revoltar diante do silêncio desse Deus que sempre sabe o que está fazendo, quando nossa mente de ameba julga que Ele só pode nos odiar pra fazer o que tem feito. (Calma pessoinha, Ele é Deus e nós, mal sabemos quantos dentes temos na boca).
De volta ao Pai para expurgar os sentimentos nocivos que acumulamos com o tempo, ou que pessoas nocivas lançaram sobre nós... 
De volta ao Pai para se olhar no espelho e assumir-se como pessoa, sem estar a vida inteira à mercê das opiniões alheias, aplausos alheios, levados pelo que pensam os outros: quer saber? Danem-se.

"Foi para Liberdade que Cristo nos libertou.
 Portanto, permaneçam firmes e não se deixem
 submeter novamente a um jugo de escravidão."
 (Gálatas 5:1)

De volta ao Pai para não se importar em agradar homens, e sim, ao Senhor, o nosso Deus!
De volta ao Pai para parecer mais com Ele e (por favor), nada com a gente...
De volta ao Pai para não fazermos a viagem e descobrirmos ao final dela que perdemos a jornada!

Isso tem tomado meu sono, meu tempo, minhas angústias e usado todo o meu silêncio estocado.

O desafio não é problema em si, eu os estou colecionando ultimamente, rsrs (vale ressaltar que o Todo Poderoso tem nos sustentado com mão forte), você também  conhece os seus detalhadamente... o desafio é como saímos de cada fase da nossa vida. 

Quem somos depois da travessia?
Escravos da amargura?
Cancerosos de mágoa e auto-piedade?
Pobres de espírito?
Perambulantes pela vida?

Estou sentada aqui em súplica por mim mesma: "Não azede sua vida!"
"Recuse-se a viver a margem."
"Não adquira a infecção generalizada que está contaminando o mundo numa velocidade estarrecedora."

Não encontro outra saída, a não ser meu coração, emoções, decepções, frustrações, angústias, aos pés da Cruz... de volta para o Pai.

Quero orar por mim e por você:

Pai, 

Como é difícil estar nesse mundo sem pertencer a Ele.
Como cansa tentar preservar o coração sem se perder nas esquinas enganosas da vida ou nos atalhos no meio da estrada.
Como é quase automático deixar amargar a alma diante de decepções, de falsos discursos, de gente farisaica...
Parece muitas vezes sobre-humano imitar a Cristo e amar como Ele amou.

Eu preciso de ajuda.
Preciso de ajuda para voltar e deixar o Senhor limpar a escória - a que escolhi e a que lançaram sobre mim...
Preciso de ajuda para fazer a travessia e sair dela melhor - mais humana, mais gente, mais amante da vida e da tua presença.
Preciso de ajuda para não perder a jornada. Para não morrer por dentro. Para não esquecer das promessas. Para não te perder dentro de mim.

Te peço a vida de volta, e isso significa pra mim uma coisa só: O teu Espírito se movendo em mim.
Não te peço que me poupes dos desafios, mas que não desista de mim neles.
Não espero aplauso de seu ninguém, mas não sobrevivo sem a tua Graça.
Não almejo longevidade, almejo vida contigo, intimidade com o meu Pai e isso me basta, ainda que meus dias sejam curtos. 
Não tenho sonhos grandes demais pra mim, mas paradoxalmente carrego o maior Deles: Conhecer  e prosseguir em conhecer o Arquiteto e Edificador dos céus e da terra.
Não escondo de mim a minha realidade: pecadora todos os dias, o dia todo... mas ainda nessa condição, tenho sede de Ti.

Socorre-nos Senhor.
Vem ao nosso encontro oh Altíssimo, porque está escrito:

"Pois assim dia o Alto e Sublime, que vive para sempre, e cujo nome é Santo:
 'Habito num alto e santo lugar, mas habito também com o contrito e humilde de espírito,
 para dar novo ânimo ao espírito do humilde e
 novo alento ao coração do contrito!'"
 (Isaías 57:15)

Que assim seja, porque tu és Deus que vê, sabe e conhece!

Que Ele venha sobre nós como as chuvas que regam a terra!!!








1 comentários:

Anônimo

li e mandei uma msg pra tu... vc sabe o valor que tens p Deus e saiba q pra mim tb!! conte com minha oracoes hj e sempre. amo voce! bjoka

thata

Postar um comentário