0

Quero brincar por esses dias




Quero brincar por esses dias...


BRINCAR DE SER LIVRE...
Brincar de dar bom-dia ao Sol
E espreguiçar-me ante o vento...
Brincar de ser feliz sem se importar com o que pensam os amargosos e ressentidos de espírito...
Brincar de mostrar a língua para os falsos, hipócritas, impostores legalistas.
Quero brincar de rir das minhas dores, 
Ignorar meus temores, 
Aconchegar meus amores, 
Zombar dos dissabores...
Quero brincar de comer pizza com a mão 
De sentar-me no chão
Lamber os dedos melados 
Deixar cabelos molhados...


QUERO BRINCAR DE AMAR
Brincar de abraçar
Brincar de olhar
Brincar de se importar
Brincar de chorar com os que choram 
E se alegrar com os que se alegram.
Brincar de consolar
Brincar de não julgar
Brincar de não condenar
Brincar de aquecer... brincar de amar.


QUERO BRINCAR DE ENCANTAMENTO
Portanto, brincarei primeiro de não ver a hora, 
De mandar os "generais" embora, 
De jogar a rotina fora...


E aí vou para o quintal do Universo
Caçar borboletas
Aprisionar vagalumes em vidros de geléia
Colecionar conchinhas do mar
Fazer uma expedição em busca de joaninhas
Derreter a pobre da lesma com sal
Tomar chuva até ficar parecendo o vira-lata da esquina
Andar descalço pelas vielas da vida, (mesmo que de vez em quando precise tirar uma farpa dos pés) 
Contar Estrelas até perder a conta e começar a contar de novo e de novo...


QUERO BRINCAR DE APRENDER
Aprender com os humildes de coração
Sentar com os símplices
Ouvir os que têm história pra contar
Beber a sabedoria dos bons pensantes
Receber preciosidades das memórias de quem muito já viveu
Penetrar na profundidade dos que tem altares com Deus


QUERO BRINCAR DE LER
Ler Fernando Pessoa
Ler Maurício de Souza
Ler Tozer
Ler Brennan
Ler minha alma
Ler olhares
Ler intenções
Ler corações
Ler o dom em cada dia
Ler meu Pai além das letras...


QUERO BRINCAR DE ACEITAR A GRAÇA
Brincar de receber o perdão pelo imperdoável
Brincar de sumir com a culpa implacável
Brincar de abraçar o favor imutável
Brincar de me esconder no esconderijo do Altíssimo
Brincar de descansar à sombra do Onipotente


QUERO BRINCAR DE DIVIDIR MINHAS HERANÇAS
Dividir minha bela história com os que sofrem
Repartir esperança com os moribundos
Compartilhar o coração bondoso, generoso e inexplicável do Pai
Dar de graça - porque foi assim  que recebi - as Boas Novas do Evangelho
Presentear pecadores - dos quais eu sou o principal - com a Salvação de Jesus
Brindar com liberdade a libertação que  Cristo me deu na cruz
Doar ao cativo o poder de "Está Consumado"
Entregar aos algemados a chave de "Jesus venceu a morte e está vivo ao lado do Pai"
Oferecer aos condenados " Não há mais condenação para os que estão em Cristo Jesus"
Dividir o colo do Pai com  meus irmãos!


QUERO BRINCAR DE SER CRIANÇA
Dependente do cuidado de Aba
Confiante Nele pra prosseguir
Esquecer das faltas que me fazem
Buscar perdão sempre que pecar, ou seja, sempre buscar perdão...
Chorar aos pés do meu Redentor 
Rogar-lhe suas mãos sobre mim
Dizer-lhe todos os dias: " Aba, eu pertenço a Ti"...
... Porque Papai do Céu disse que, " quem não receber o Reino de Deus como uma criança, de maneira nenhum entrará nele!"


Quero brincar por esses dias... até o último deles... sim, brincarei de ser eu de novo...



2

Pacificação...





Pois é... o tempo passou e eu sumi. Me perdoe... Ando levando bronca de algumas pessoas por tanto tempo ausente, mas volto feliz e prometo não ficar mais longe assim, rs!

Nas cenas do último capítulo estávamos meio sem rumo...
Nós ainda estamos esperando por nossa casa. Estamos num espaço pequenininho, mas muito gostoso até mês que vem, e temos visto a bondade de Deus nos cercando a cada dia.

Nessa nossa fase de transição estamos vivendo momentos inéditos e uma experiência com efeito prolongado. Estamos muito juntos, juntos demais até, para o meu gosto solitário, rsrs.
Crianças na hora do dever: um de cada lado e eu tentando participar da tarefa dos dois.
Televisão: Todos no mesmo sofá disputando entre jogo, desenho e alguma coisa mais interessante (do meu ponto de vista, claro).
Hora do banho: "Par ou ímpar" pra quem ganha a vez...

E assim, vamos nos 'encarando' como nunca; e nossas diferenças, gostos e temperamentos se ressaltando de forma volumosa.
Mas sabe, fora o lado estressante e cômico de tudo isso, tem um detalhe que tem me despertado: o 'prestar atenção', o 'perceber mais de perto' o quanto fugimos ou lidamos um com o outro enquanto família.

Familia é isso -  pessoas diferentes, em fases pessoais e únicas, em buscas contrastantes, em sensações particulares, aprendendo a arte da convivência e o dom do relacionar-se.

Tenho me concentrado em pacificar-me.
Buscando não mais mudar meus filhos à minha imagem e semelhança, mas aceitá-los, ampará-los e aconchegá-los como são, sem alterá-los para me satisfazer. Árdua essa tarefa, sou mandona demais, rsrs
Olhando para o meu marido, vejo de forma intensificada, o quanto somos diferentes, reagimos e nos portamos diferente em tantas questões, e isso certamente o incomoda e me  incomoda mais do que gostaríamos... mas fato é  que precisamos lembrar principalmente de 2 verdades:

* Pessoas não são para serem mudadas, mas para serem aceitas e potencializadas em sua essência.
* Nunca se pode deixar no altar do essencial, o que é formato: Por trás de aborrecimentos cotidianos, existe uma história... existe um vínculo inquestionável, existe um dividir a vida, o tempo, os problemas, os dilemas, as alegrias, o crescimento, a maturidade, as conquistas... dividir o que nós somos e o que os outros são.

Sem atropelos, 
Sem tentar enfiar uma outra pessoa dentro daquela que temos do lado, 
Sem violentar o caráter dos filhos, 
Sem esperar de um ser humano aquilo que só Deus pode conceder.
Sem atribuir a ninguém minhas questões mal resolvidas...
Sem lançar fardos pesados nas costas de quem nos quer bem.

Nada disso é simples, e mesmo sem querer, me pego vez por outra, fazendo tudo que condeno... 
Numa dessas manhãs, corri com café, tarefa e almoço, para as crianças não se atrasarem para escola. Já quase na hora do transporte escolar passar, o Joshua ainda estava de meia e eu brava fui colocar o tênis dele. Não conseguia desfazer o nó no cadarço e esbravejei: "Quem foi o idiota que amarrou esse tênis assim?" (horrível isso). Joshua abriu os olhos e preocupado com a resposta mais sem deixar seu lado cínico se intimidar, respondeu: "Não teria sido você ontem?"
 Caí na risada e pensei: sou mesmo idiota de ficar tão irritada com   tão pouco...

Nosso excesso de convivência e o "esbarramento" um no outro, tem me feito esbarrar em mim  mesma... difícil esse encontro, rs

Quando começamos a gerar em nós o ato de soltarmos as cordas do pescoço do outro, é incrível, parece que estamos afrouxando nossa própria garganta, e assim vou aprendendo que não existe família perfeita, mas há relacionamentos pacíficos em Deus!

Que o Pai abençoe abundantemente você e sua casa!