4

Lembre-se nos dias de chuva, que o Sol da justiça aquece você!

Exatamente hoje, faz uma semana que tivemos o prazer de comemorar numa festinha simples o aniversário de 10 anos da Victória, nossa primogênita. Desde que estamos em Recife eu não havia feito uma festinha para ela, e foi muito prazeroso organizar cada detalhe e vê-la curtindo tudo.

Me lembro que no dia da festa eu ainda não tinha providenciado os sapatos por causa de toda a correria típica, mas quando fomos buscar a roupa dela, na volta pra casa, ela falou meia sem graça: "Nem sei que sapato eu vou colocar, não tenho nada que combina!" Realmente não tinha, a Vivi está crescendo muito e seus sapatos deixam de servir numa velocidade que o bolso não acompanha! rs 
E acrescentou: "Mas eu sei que você já gastou muito comigo mamãe!"

Eu sorri por dentro. Mal sabia ela que eu conhecia a necessidade, que eu já tinha pensado como fazer e que a solução já estava dada, mesmo que ainda não materializada...
 
Depois do almoço corri no shopping e fui buscar o último detalhe: os sapatos! Ah como ela ficou radiante!

A noite foi deliciosa e eu registrei as cenas de alegria e euforia da minha menina-moça com muita gratidão ao meu Pai.

Gratidão por nos proporcionar esse momento, 
Gratidão por nos dar meios de celebrar com os amigos, quando em outros anos, nós não pudemos fazê-lo!
Gratidão pela saúde, por todas as aprontações dela (que não foram poucas, rsrs)
Gratidão pelo Milagre que ela representa, 
Gratidão pela vida!

Voltamos exaustos, mas com uma Alegria transbordante Nele.

No dia seguinte, fui trabalhar e Victória me liga no meio da tarde dizendo que estava passando muito mal. Fui buscá-la e fiquei impressionada quando a vi muito debilitada, chorando de dor de cabeça e dor nos olhos. Eu imaginei apenas uma virose forte. Como ela foi piorando e seu corpo ficou todo pigmentado, fomos ao hospital e eu levei um susto enorme com o diagnóstico: dengue hemorrágica!
Parecia mentira que um dia antes Victória estava pulando e fazendo estripolias...

Hoje, uma semana depois, repetimos os exames e ela está com a imunidade muito baixa. Poderia ter ficado internada, mas a médica preferiu que eu a trouxesse pra casa porque emocionalmente é melhor pra ela e por causa do risco de infecções. Enquanto eu a trazia do hospital hoje, o Senhor me lembrava: "Se você foi capaz de prestar atenção nos detalhes daquilo que era tão pequeno, mas importante pra você; quanto mais Eu minha filha!"

"Se vós, que sois maus, sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais o vosso Pai celestial!" 
Lucas 11:13

Entre a alegria e a angústia eu pude sentir que Ele é o meu Deus.
Deus que me faz sorrir e Deus que me ensina a depender. 
Deus que satisfaz o desejo do meu coração e Deus que me satisfaz Nele mesmo quando meu coração fica apreensivo...  

Eu sei do meu amor pela minha pequena, 
mas se tratando de amor de Pai, ninguém nos céus ou na terra se compara a Ele!

Aproveite pra registrar nas tábuas do seu coração quem Ele é nos dias de sol, para que, quando a chuva chegar, você ainda saiba: ELE É O MESMO!!!

2

"Esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão..."



"Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final...
Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.
Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?
Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu....
Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.
Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.
O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.
As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora...
Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.
Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração... e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.
Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.
Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.
Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal".
Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!
Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.
Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.

Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.
Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és..
E lembra-te:
Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão."
Fernando Pessoa
1

Um coração despido... uma alma renovada.




Nada como compartilhar daquilo que você sente na alma.
Esse fim de semana foi uma prova angustiante. Eu tinha o compromisso de pregar num chá para mulheres no sábado a tarde, e testemunhar no domingo pela manhã. O tema pré-estabelecido do chá era sobre Ana. Assunto pra lá de mastigado... mas foi uma valiosa experiência enxergar a angústia acumulada de Ana, vivida silenciosamente que fez amargar a alma de uma mulher altruísta que já  fora bem resolvida a ponto de arrebatar o coração do marido. Foi 'novo' pra mim caminhar no processo de dor dela, até que ela resolve tirar a sua história das mãos dos outros e colocar nas mãos de Deus.

A continuação da dor faz enfermar a alma...
" ESPERANÇA QUE SE ADIA FAZ ADOECER O CORAÇÃO (Pv 13:12)"

Preparei toda a mensagem, mas fui dormir na sexta angustiada porque faltava algo e eu não conseguia discernir o que era. Ás cinco da manhã acordei e senti que precisava orar, fui pra um outro quarto e me coloquei diante do Senhor. Ouvi um sussurro: "Não acha que precisa derramar sua alma diante de Mim? Vai falar sobre isso sem primeiro deixar que lhe penetre o coração???"

Ah! Eu precisava chorar...
E assim, me derramei e chorei diante Dele o que nem eu mesma conhecia de fato, mas há um Deus que nos sonda e nos conhece, sabe quando nos assentamos e levantamos... sabe o que vamos dizer antes da palavra formada em nossa boca! 

É incrível o poder de falar o que se sente...
É incrível o poder de falar o que se sente pra quem nos conhece como o Pai, mas contar-lhe como se Ele nada soubesse, porque isso cura a nossa alma e o convida pra nossa intimidade.

Eu tenho muita dificuldade de falar o que sinto, só consigo escrevendo muitas vezes, rsrs, mas aprendi uma coisa preciosíssima:

Diante Dele eu posso me aproximar, não importa a condição que eu esteja.
Se existe alguém que me compreende e que me aceita a despeito de qualquer situação emocional, espiritual, física, esse alguém é só Ele e mais ninguém...

E assim eu cheguei diante Dele totalmente desnudada e lá permaneci embriagada nas minhas lágrimas por bom tempo... e quando me levantei já tinha recebido a porção que me faltava na alma e a Graça pra falar mais uma vez!

No domingo de manhã fui pela primeira vez a uma igreja que está enlutada pela perda de um grande líder há apenas dois meses e foi difícil testemunhar ali, voltei pra casa emocionalmente mexida com toda aquela realidade.

Essa semana inusitadamente tenho conversado com gente deprimida,
gente sem conseguir definir as causas de suas angústias,
gente tentando encontrar saída para os seus dilemas...

Muitas vezes emudeço diante da dor alheia, querendo ter remédio nas mãos e me sentindo incapaz...
mas tenho percebido que falta-nos o 'rasgar-se' diante Dele sem medir palavras, sem ensaiar discurso, sem fingir sentimentos, sem justificar coisa nenhuma, as vezes sem dizer nada inclusive, apenas o 'apresentar-se e o submeter-se'.

Muitas vezes, na maioria delas eu diria, nada imediato acontece do lado de fora,
mas muitas vezes, na maioria delas, eu repetiria, algo acontece dentro da gente...

"Assim foi a mulher (Ana) o seu caminho, e comeu e o seu semblante já não era mais triste!"
 I Samuel 1: 18
Nada de filho ainda, mas a certeza de uma história nas mãos de Deus muda tudo!

Talvez, e só talvez, a sua história esteja nas mãos de pessoas, situações, passado, perdas, medos...
quem sabe não seja a hora de ficar sozinho com Ele e só diante Dele derramar aquilo que só Ele pode curar, ouvir, aceitar, entender, perdoar, renovar, fortalecer, responder, conceder...

Tenha pressa de chegar diante Dele, mas não tenha pressa de sair... basta um "derramar-se"... pra algo acontecer dentro de você...
Nunca duvide que sempre haverá lugar pra você no colo do Pai!

Gosto de pensar na resposta de  Madre Tereza de Calcutá numa entrevista:

"O que você fala pra Deus quando ora?"
"Nada eu só escuto!"
"E o que Deus fala pra você?"
"Nada, Ele só me escuta!"

Diante de Deus talvez nem palavras sejam necessárias, apenas um coração despido diante Dele cura a nossa alma!