1

Não chore pequena criança grande...


Fui levada as pressas para UTI e já não pude mais ver meu marido...


Dá-se início a uma série de procedimentos, exames, e mais aparelhos...

E muita dor.



Era necessário refazer muitos exames e fazer novos também, porque ninguém sabia mais ao certo o que havia sido feito... o que podia ser feito ali no quarto, eles fizeram, mas para alguns exames mais complexos precisavam me colocar em aparelhos, levantar partes do corpo etc... e eu só fazia chorar e implorar pra que tudo aquilo acabasse e me deixassem em paz. Mas era necessário, não tinha outra maneira indolor.





Depois dessa primeira bateria de exames, fui "reconectada" a um monte de aparelhos que não sei nem o nome, só via um monte de fios e tubos, drenos, catéter, e o som interminável deles ao meu lado. Algumas coisas me incomodavam sobremaneira: o dreno de pulmão que dói demais, e eu tentava respirar o mais brandamente possível por causa da dor; também a sonda que ia até o estômago pela boca me parecia uma mangueira imensa e não tinha hora pra sair, o braço esquerdo latejava ininterruptamente numa dor sem descrição... Eu tinha muita sede, a boca ficava o tempo todo aberta, e quando era demais, eu pedia, e alguma enfermeira molhava uma gaze num copinho com água e passava na minha boca pra umedecê-la... sinceramente falando, não havia nenhuma parte do meu corpo que não doía, não havia alívio das dores... eu não sei porque, mas não havia mais veia pra tirar sangue, (talvez por causa do inchaço), então periodicamente, eu precisava coletar sangue e o único "ponto" que acharam em mim, foi no meu pé! No peito do pé. Não é nada de outro mundo certamente, mais somado com todas as outras dores e com a necessidade diária de fazê-lo, ah meu amigo, faz um copo transbordar!



Bom, pra abreviar, basta que eu diga que UTI é lugar de desespero, de solidão, de dor... quem está do lado de dentro, vendo cada minuto arrastar-se, tem a impressão que nunca mais vai sair, que nunca mais vai sorrir, que nunca mais vai ver o sol, que nunca mais vai viver de novo!



Pra mim foi assim, os dias eram intermináveis e eu almejava que a noite chegasse, para que pudesse dormir quem sabe um pouquinho. Quando a noite chegava, os procedimentos diminuíam e eles me davam remédio pra dormir, mas eu tinha pesadelos horríveis com o acidente, sonhava que estava me "desconectando" da terra, e acordava transtornadíssima, um sentimento avassalador dentro do peito... as dores não davam trégua, olhava em volta, um silêncio de vida e um barulho desafinado de aparelhos, tocando o que mais se perece com uma música fúnebre descompassada! As luzes baixas da noite, e de vez em quando um enfermeiro aparecia e perguntava se estava tudo bem, checava tudo a minha volta e eu mais que depressa perguntava que horas era. Quase morria quando ele dizia: "Uma e quarenta". "Uma e quarenta"??? Não pode ser! Isso significa que temos a noite toda pela frente! Meu Deus! E agora eu passava a almejar pelo Amanhecer, pelo raiar do sol e cada vez que o enfermeiro chegava: "que horas são?"



Mas quando o dia amanhecia, as coisas não melhoravam, e recebia duas visitas por dia, e só o Rodney podia entrar na UTI, e podia ficar menos que meia hora. Eram os dois únicos momentos de algum alívio. Ele passava aqueles minutos contando sobre a família e amigos, falava das pessoas que não paravam de ligar, falava que havia um monte de gente do lado de fora do hospital e me dava cada recado, de cada um, enquanto fazia carinho no meu cabelo ainda cheio de cacos de vidro. Me dava palavras de ânimo e dizia muitas vezes que a eu tinha que voltar pra nossa casa. Nós tínhamos um ano apenas de casados, eu tinha 23 anos e tudo parecia agora estar por um fio... Aqueles minutos eram os únicos em 24 horas que passavam rápido e logo, eu só visualizava as costas do Rodney passando pela porta da UTI e eu continuava lá!


Mas naqueles dias intermináveis, que pra mim foi o pior de tudo, (porque naquela UTI eu perdi as esperanças, e quando isso acontece, tudo perde o sentido),Deus estava crocheteando! Mas hoje, com outros olhos, depois de 9 anos, tendo digerido muito melhor minha "tragédia", eu vejo o Pai trabalhando no vigília da noite, vejo o Senhor silencioso porque tinha muito que fazer a meu favor e não tinha tempo pra falar e nem satisfações a dar a mim, pra Ele, o tempo bastaria pra desvendar quem Ele é!


Não tive momentos de trégua na UTI, mas eu me lembro de que o Senhor me trouxe a memória o Salmo 131: "Senhor não é soberbo o meu coração, nem altivo o meu olhar, não ando a procura de grandes coisas, nem de coisas maravilhosas demais pra mim. Antes, pelo contrário, fiz calar e sossegar a minha alma como a criança desmamada que se aquieta nos braços de sua mãe, como essa criança é a minha alma para comigo!" Aquilo consolou o meu coração! Eu não tinha filhos, nunca tinha atentado para o fato de que a criança desmamada não precisa mais do leite materno, ela se contenta em estar no "colo da mãe"! O Senhor sussurrou pra mim: "Daqui pra frente, eu serei seu pai e sua mãe..." Posso dizer uma coisa com a minha alma derramada diante Dele e de você também?

Fazem nove anos, e eu me sinto amparada como criança no colo do Pai! Ele tem cuidado de mim nas coisas grandes e nas pequenas, como aquelas coisinhas bobas que uma filha pede pra mãe sabe? Meu Pai faz por mim o que meus pais jamais poderiam fazer em vida! Sou a órfã adotada mais feliz do mundo! Sabe qual o nome do meu Paizinho? Aba!



Eu não sei o que você está vivendo, nem ao menos sei quem você é, mas talvez você esteja com um sentimento de solidão e abandono dentro do peito. Talvez as pessoas nem saibam, nem imaginem o que você passa ou sente, nem mesmo os mais íntimos... talvez as nuvens não queiram dar lugar ao sol e seu coração esteja olhando em volta sem respostas. Onde está Deus? Porque Ele não se importa? Porque não fala nada? Porque não faz alguma coisa a meu favor já que me ama? E os dias são intermináveis... eu também não tenho respostas prontas pra você, mas quero te dizer que, mesmo quando você não vê nada, mesmo quando você não entende nada, mesmo quando você duvida que Ele te ama, ainda assim, Ele está trabalhando, sonhando, arquitetando a teu favor! Você é filho! Nasceu no coração Dele! Ele te fez! Ele escreveu tua história como não fez com mais ninguém na face da terra, em época nenhuma deste mundo... faltaria amor no coração deste Pai? Ou será que você está olhando com os mesmos olhos da criança que chora inconsolável enquanto seu pai desce a rua logo cedinho seguindo em direção ao trabalho. (?) O dia mal amanheceu e seu pai já vai embora... enquanto ela o observa pela janela e tenta enxugar as lágrimas, pensa: "porque meu pai não me ama? porque me abandonou?" Não há abandono nenhum pequena criança, ele apenas saiu porque te ama, movido pelo amor que te tem, saiu junto com o sol e foi trabalhar! Trabalhar para suprir as suas necessidades, pequena criança. Não chore, ele vai chegar com suprimentos nas mãos e vai te surpreender...



"MAS SIÃO DIZ: O SENHOR ME DESAMPAROU, O SENHOR SE ESQUECEU DE MIM. ACASO PODE UMA MULHER ESQUECER-SE DO FILHO QUE AINDA MAMA, DE SORTE QUE NÃO SE COMPADEÇA DO FILHO DO SEU VENTRE? MAS AINDA QUE ESTA VIESSE A SE ESQUECER DELE, EU, TODAVIA, NÃO ME ESQUECEREI DE TI. EIS QUE NAS PALMAS DAS MINHAS MÃOS TE GRAVEI; OS TEUS MUROS ESTÃO CONTINUAMENTE PERANTE MIM!" Isaías 49: 14-16


Não chore pequena criança grande, Ele vai chegar com suprimentos nas mãos e vai te surpreender!



1 comentários:

Wania & Mark Honman

Acho que nunca vou conseguir ler suas postagens sem lagrimas nos olhos - Deus continue usando voce! Nao pare, nao desista nunca - love you amiga!

Postar um comentário